Riverdale: o mistério por detrás da cidade

Written by on Outubro 18, 2018

Riverdale: o mistério por detrás da cidade
Autor: ESCS Magazine
Conteúdo retirado automaticamente da página do núcleo ESCS Magazine
Ver fonte

A nossa história é sobre uma cidade. Uma cidade pequena. E as pessoas que vivem nessa cidade. À distância, parece-se com muitas outras cidades pequenas no mundo inteiro. Segura. Decente. Inocente. Mas, se se aproximarem, começarão a ver as sombras subjacentes. O nome da nossa cidade é Riverdale. –  É assim que começa a nova série da The CW baseada nas personagens da Archie Comics e no programa “The Archie Show”.

Riverdale é uma pequena cidade que foi abalada pela morte misteriosa de Jason Blossom, um rapaz popular e membro da família mais poderosa da cidade. Archie Andrews, Betty Cooper, Jughead Jones, Cheryl Blossom e Veronica Lodge são as personagens centrais e vão investigar a morte de Jason.

Com o desenrolar das investigações, este grupo de amigos vai descobrir muitos segredos que estão escondidos, mostrando que a cidade não é tão inocente como parecia.

A série teve um sucesso que não se esperava. Baseada em personagens de banda desenhada, trouxe de volta as séries de adolescentes, como Gossip Girl, que envolvem amores, desgostos, problemas familiares e pequenos crimes. Também o background das gravações e tudo o que está por detrás da câmara foi importante para o seu sucesso, como: J.B. Moranville, produtor de Dinastia e MacGyver; e David Lanzenberg, cinematógrafo de The Age of Adaline e Peppermint. Estes foram alguns dos nomes que deram uma lufada de ar fresco a uma série que se esperava ser como tantas outras.

As personagens jovens, pouco ou nada conhecidas pelos espetadores, foram uma agradável surpresa, pois ainda não tinham tido nenhum papel significante na representação, à exceção de Cole Sprouse, com a participação em The Suite Life of Zack & Cody.

Boas no que toca à representação e também a criar em nós empatia ou apatia em relação a elas. O importante é o facto de as personagens nos terem feito sentir alguma coisa. Por isso, merecem uma pequena apresentação.

Archie Andrews é a personagem principal. É um rapaz simples que joga futebol e gosta de música e vai aprender a conciliar estes dois mundos, aparentemente, tão diferentes.  

Betty Cooper é a melhor amiga de Archie. É a típica rapariga das séries adolescentes que esconde um segredo misterioso e tem uma relação atribulada com a mãe.

Jughead Jones é o anti-social e nerd. Gosta de escrever e procura respostas para a morte de Jason. A sua vida familiar não é de todo a melhor e está constantemente à procura de formas para sobreviver.

Veronica Lodge é a miúda nova da cidade. O seu pai foi preso por corrupção e esta procura um novo começo para a sua vida.

Cheryl Blossom é a irmã de Jason. Foi a última a ver o irmão vivo e vive num conflito constante com a família. Este conflito fê-la tornar-se numa pessoa conflituosa e amargurada.

Todos muito diferentes. No entanto, muito iguais no que toca a uma coisa: não conseguimos caracterizar nenhum como “vilão” ou “santo”. Todos têm mistérios e segredos que querem manter como tal, mas também todos têm bom coração e tentam ajudar no que podem.

O facto de não serem conhecidos, como já foi referido, é uma grande ajuda para o sucesso da série. O facto de os telespectadores não conhecerem as suas caras e não as associarem a nenhuma personagem que já tenham feito ajuda a que cada um deles seja identificado de forma singular e sem os confundir com programas passados.

Riverdale acompanha Archie Andrews, um estudante apaixonado pela música e pelo futebol, e a sua melhor amiga, Betty Cooper, que está apaixonada pelo vizinho e melhor amigo. Archie passou o verão a trabalhar para o pai e desde aí que tudo mudou: envolveu-se com uma professora, começou a namorar com a Veronica Lodge e sabe mais do que devia sobre a morte de Jason Blossom.

É essa morte que funciona como fio condutor da história que interliga todas as personagens. O mistério que está por detrás da sua morte é o que dá mais vontade de acompanhar o que se vai passar nos episódios seguintes. É o que nos vai fazendo perceber que Riverdale não é uma cidade assim tão inocente. Existem muitos segredos escondidos que vão acabar por ser descobertos devido às investigações.

O sucesso da série não passa apenas pelo bom elenco ou por ser uma história com ritmo, instigante e que nos suscita o interesse. Também os temas nela abordados são essenciais, principalmente, sendo esta uma série mais destinada a adolescentes. Temas como o bullying, a homossexualidade, a opressão masculina em relação ao sexo feminino e o racismo são alguns desses exemplos. Apesar de vivermos numa sociedade cada vez mais evoluída relativamente a este tipo de assuntos, a sua discussão continua a ser um assunto delicado.

Algo que esta série trouxe de novo no que toca a este tipo de assuntos foi mesmo a opressão masculina sobre o sexo feminino. A série demonstra que as mulheres não são de todo o sexo frágil e que muitas vezes são mais corajosas do que certos homens. Esse ponto é importante. Mostra que deve existir igualdade e que as mulheres devem ser independentes. A imagem que a série nos dá sobre este assunto é a de que uma mulher pode ser poderosa a desempenhar um papel da mesma forma que um homem seria.   

Apesar de parecerem temas que são abordados em quase todas as séries de adolescentes, o seu aparecimento fez todo o sentido. Deram um ritmo à série que não nos fez aborrecer, devido à diversidade de temas que aborda. Temas esses que são muito importantes e com os quais nos deparamos todos os dias no nosso quotidiano.

A pergunta central de toda a série é “Quem matou Jason?”. E, apesar de ser uma pergunta um bocado clichê, os produtores conseguiram dar muito bem a volta à situação, espalhando diferentes dicas e fazendo o público mudar de ideias sobre quem seria o assassino ao longo da temporada. No entanto, existiu um senão neste clichê que tinha tudo para ser perfeito e não o foi. Muitas perguntas foram despertadas ao longo da temporada e só nos dois últimos episódios é que foram respondidas, o que fez com que o final ficasse um bocado confuso.

Já deves estar a pensar em quem teria motivos para matar Jason e o porquê, certo? Então ainda te digo mais para aumentar essa curiosidade… O assassino é óbvio, mas ao mesmo tempo não o é, e a solução que os produtores encontraram para justificar o acontecimento foi acertada.

“Riverdale, na verdade, acaba sendo uma novela adolescente artisticamente trabalhada e instantaneamente envolvente, carregada de potencial.” – esta foi a opinião do site da TVLine.

Queres saber se a série tem potencial? Então dá uma olhadela, até porque já há uma nova temporada à tua espera cheia de novos enredos!

Artigo corrigido por Vera Santos.


Current track

Nome

Artist