Resumo da 9º jornada da Liga Nos – Vitórias precisam-se

Written by on Novembro 7, 2018

Resumo da 9º jornada da Liga Nos – Vitórias precisam-se
Autor: ESCS Magazine
Conteúdo retirado automaticamente da página do núcleo ESCS Magazine
Ver fonte

A nona jornada do campeonato começou na sexta feira, com a entrada em campo de um dos candidatos ao título. No Estádio da Luz, o Benfica recebeu o Moreirense depois de uma semana de grande contestação por parte dos adeptos benfiquistas à equipa e ao técnico Rui Vitória devido aos maus resultados.

Depois da derrota no Jamor diante do Belenenses (2-0), o Benfica apresentou-se com duas alterações no onze. Destaque para as entradas de João Félix, que assistiu o também regressado Jonas para o primeiro golo das águias, logo aos dois minutos da partida. Melhor início era impossível para a equipa de Rui Vitória. Mas a vantagem só durou três minutos. Aos cinco minutos da primeira parte, a equipa do Moreirense conseguiu estabelecer o empate no marcador por intermédio de Chiquinho após um remate à entrada da área. Aos sete minutos foi a vez do guarda-redes dos cónegos brilhar ao tirar da baliza um golo praticamente certo de Rafa. O Benfica continuava a pressionar e a chegar com perigo à baliza do Moreirense, mas quem acabou por marcar novamente foi mesmo a equipa do Norte com um golo de Pedro Nuno. O momento que iria congelar a Luz chegou a dez minutos do intervalo: quando Mamadou Loum, com um remate forte fora de área, aumentou a vantagem do Moreirense para três golos. Se tudo parecia estar a correr mal para a equipa da casa, ainda piorou mais na segunda parte quando Jardel foi expulso (minuto 76) por agressão. A jogar com menos um, o Benfica fez de tudo para voltar a lutar pelo jogo, no entanto veio mesmo a confirmar a sua terceira derrota consecutiva.

O final do encontro ficou marcado por vários assobios dos adeptos e pedidos de demissão a Rui Vitória. Já o Moreirense conseguiu uma vitória histórica, uma vez que nunca tinha vencido no Estádio da Luz, conseguindo arrecadar três pontos que poderão ser muito importantes na luta pela manutenção.

No sábado, o dia começou com o confronto entre o Portimonense e o Belenenses Sad. Ambas as equipas vinham de vitórias para o campeonato. O Portimonense foi ao terreno do Nacional da Madeira vencer pela margem mínima. Já o Belenenses Sad veio de uma grande vitória diante do Benfica. A primeira parte do jogo não contou com muitas oportunidades. Nota para dois lances de perigo da equipa visitante que não resultaram em golo. Porém, a situação mudou na segunda parte. No minuto 64, Jackson Martinez foi agarrado na área e o árbitro não teve dúvidas em apontar para a marca dos onze metros. No frente a frente com Muriel, Jackson não tremeu e inaugurou o placard em Portimão. Foi um golo especial para o avançado colombiano, visto que voltou a marcar na primeira liga depois de três anos e meio de ausência.

Até ao final, o Portimonense fez de tudo para marcar o golo da tranquilidade, mas acabaria por ver a vitória a fugir quando o árbitro assinalou grande penalidade a favor do Belenenses após toque com o braço do jogador do Portimonense. Coube a Jonatan Lucca converter o penálti que daria um ponto às duas formações. Com este empate, as duas equipas ficaram em igualdade pontual na classificação (ambas com 11 pontos).

Na Madeira, o Marítimo recebeu o campeão em título – o FC Porto. A equipa madeirense procurava o regresso às vitórias (a última vitória foi no final de setembro), mas não iria ser tarefa fácil. Para travar os dragões, o treinador do Marítimo apostou numa tática com três centrais para marcar os dois avançados portistas (Soares e Marega), que acabaram por ter algumas dificuldades em criar oportunidades de perigo. A grande oportunidade da primeira parte acabou por pertencer aos madeirenses, após um remate perigoso de Joel, que obrigou Casillas a uma defesa apertada.

Depois de 45 minutos sem grandes oportunidades de golo, o Porto apareceu mais perigoso no segundo tempo e, aos 65 minutos, teve a sua primeira chance de se colocar na frente do marcador. Soares caiu na área e foi assinalada grande penalidade, mas Marega permitiu a defesa do guardião do Marítimo Amir. Quatro minutos depois, os dragões chegaram mesmo à vantagem. Sérgio Conceição lançou Otávio para o lugar de Maxi e foi dos pés do brasileiro que o Porto inaugurou o marcador, após uma grande jogada de entendimento do ataque portista.

Aos 72 minutos, o Porto marcou o golo que acabou com as hipóteses do Marítimo. O lance decisivo aconteceu depois de uma perda de bola no meio campo dos insulares. Óliver Torres aproveitou o erro do adversário e conduziu o ataque. Perto da área, o espanhol serviu Otávio, que, por sua vez, fez um passe atrasado onde apareceu Marega para finalizar. O avançado malinês redimiu-se, assim, da grande penalidade que falhou.

Nesta segunda parte, destaque ainda para o vermelho direto mostrado pelo árbitro Carlos Xistra a Danny, depois de uma cotovelada a Otávio.

Com esta vitória, o Porto alcançou a liderança do campeonato. O Marítimo somou a quarta derrota consecutiva e desceu até ao 12º lugar.

O último encontro de sábado realizou-se no Bessa. O Boavista recebeu o Vitória de Guimarães e as duas equipas não foram além de um empate sem golos. Na primeira parte, o Vitória chegou mais vezes à área adversária, mas sem nunca criar uma oportunidade evidente de golo. Na segunda parte do encontro, ambas as equipas construíram bons lances ofensivos e o Boavista chegou a introduzir a bola na baliza adversária. No entanto, o golo foi anulado por fora de jogo. Depois do encontro, Jorge Simão (treinador do Boavista) achou o empate justo. Já Luís Castro (treinador do Guimarães) lamentou as oportunidades desperdiçadas pela sua equipa. Com este empate, o Guimarães ocupa agora o 8º lugar com 12 pontos. O Boavista é 15º com 8 pontos.

No domingo, a primeira partida jogou-se em Santa Maria da Feira com o Feirense a receber o Tondela. Até este jogo, o Feirense era a equipa menos batida do campeonato, mas coube aos visitantes acabar com esta distinção. Logo aos seis minutos de jogo, o Tondela abriu o marcador na sequência de um pontapé de canto. Bruno Moreira sem marcação e com um belo golpe de cabeça conseguiu bater Caio. O Feirense procurou responder à desvantagem e aos trinta minutos mandou uma bola ao poste. O golo do empate chegou seis minutos depois, quando Edinho converteu uma grande penalidade. As equipas foram para o intervalo empatadas. No entanto, o Tondela voltou a colocar-se em vantagem também de grande penalidade ao minuto 53, depois de uma grande falha do guarda-redes da casa. O Feirense voltou a empatar a partida aos 66 minutos, com um grande golo de calcanhar de João Silva. Aos 71 minutos da segunda parte, o Tondela chegou novamente à vantagem. O Feirense fez de tudo para chegar ao empate, mas acabou mesmo por sofrer o golo num contra-ataque que deitou por terra as esperanças da equipa. Com esta derrota, o Feirense deixou de ser a melhor defesa do campeonato e desceu até ao 14º lugar. O Tondela somou a sua primeira vitória fora de casa e é 13º com nove pontos.

O segundo encontro de domingo realizou-se nos Açores. Santa Clara e Sporting jogaram com um grande temporal. Temporal esse que não afastou os adeptos das bancadas (10 mil espectadores).

Os leões vinham de uma semana complicada. Derrota com o Estoril para a Taça da Liga, que resultou na saída de José Peseiro. Coube a Tiago Fernandes pegar na equipa e prepará-la para um jogo bastante complicado com a equipa sensação do campeonato.

Destaque para algumas alterações no onze leonino, principalmente para a entrada de Lumor para o lado esquerdo da defesa, Acuña fez dupla com Battaglia (saiu lesionado na primeira parte) e Dost voltou à titularidade.

O jogo não começou da melhor forma para a equipa que viajou de Lisboa. Aos trinta minutos, o Santa Clara colocou-se em vantagem. Rashid aproveitou o vento que se fazia na ilha e isolou Zé Manuel, que, ao contrário de Renan e Lumor, não hesitou e deu vantagem à equipa açoriana.

Na segunda parte, o Sporting sabia que tinha de melhorar para dar a volta ao marcador. A entrada de Jovane Cabral mexeu com o ataque leonino e os leões conseguiram criar mais oportunidades. O golo do empate acabou por surgir de grande penalidade. Bas Dost, à segunda tentativa (árbitro mandou repetir o penálti), enganou o guarda-redes e estabeleceu o empate. Na sequência do penálti, Patrick Vieira (defesa direito) foi expulso por protestos. Depois da expulsão, o Sporting assumiu o controlo da partida e Jovane Cabral voltou a assumir o papel de suplente de luxo com uma assistência para o golo de Acuña (minuto 75). O Santa Clara apostou tudo no ataque nos últimos minutos, mas sem sucesso.

Depois de uma semana atribulada, o Sporting voltou às vitórias num terreno complicado e ultrapassou o Benfica na classificação. O Santa Clara desceu para o sexto lugar.

O último jogo de domingo pôs frente a frente o Sporting de Braga e o Vitória de Setúbal. Antes de visitar o Dragão, o Braga não desiludiu e bateu o Vitória por 2-1. O grande destaque da partida foi Dyego Sousa, que apontou os dois golos dos bracarenses. O primeiro golo surgiu aos 16 minutos. Goiano cruzou e Dyego Sousa antecipou-se ao guarda-redes sadino e inaugurou o marcador. Antes, o Braga já tinha mandado uma bola à trave. A vantagem da equipa comandada por Abel Ferreira só durou dois minutos. Numa bela jogada de ataque, o Setúbal chegou ao empate por intermédio de Eber Bessa. Até ao final da primeira tarde, Fábio Martins ainda assustou em duas ocasiões, mas foi novamente Dyego Sousa que fez a diferença e, mais uma vez, de cabeça, apontou o segundo golo do Braga. Na segunda parte do encontro, o Setúbal começou a pressionar mais e causou intranquilidade nos da casa, mas o resultado não se alterou. Destaque neste encontro para a expulsão do treinador bracarense por protestos. O Braga sofreu até ao final, mas conseguiu conquistar os três pontos que o colocam em igualdade pontual com o FC Porto – ambos com 21 pontos. O Setúbal encontra-se no meio da tabela com 11 pontos.

A nona jornada do campeonato terminou na segunda feira com dois jogos. O primeiro jogo foi entre o Rio Ave e o Nacional da Madeira. Na Vila do Conde, o Rio Ave entrou a ganhar muito cedo graças ao golo de Diego Lopes, após um grande passe de Fábio Coentrão. O mesmo Fábio Coentrão deu origem ao empate dos visitantes depois de perder a bola no meio campo. Com alguma sorte, o avançado do Nacional Kenji Gorre conseguiu introduzir a bola na baliza de Leonardo. Antes de terminar a primeira parte, o Rio Ave passou novamente para a frente do marcador com um golo de Carlos Vinicius – golo apontado de grande penalidade. O terceiro golo dos vilacondenses foi apontado aos 67 minutos. Depois de um grande trabalho individual, Galego cruzou para a área e, num lance confuso, Carlos Vinicius marcou e acabou por bisar na partida. Quando tudo parecia resolvido, o Nacional reduziu através de uma grande penalidade e a dois minutos do final da partida conseguiu mesmo o empate. Com este resultado em casa, o Rio Ave não conseguiu chegar ao pódio. Ainda assim, ultrapassou o Benfica na classificação. O Nacional é último.

O último jogo da jornada opôs o Desportivo das Chaves ao Desportivo das Aves. Os visitantes chegaram à vantagem à passagem do minuto 19, com um golo apontado por Mama Balde. O Desportivo das Chaves empatou a partida no início da segunda parte (minutos 48) com um golo de André Luís. Quem saiu com a vitória na partida acabou por ser o Desportivo das Aves. O golo do triunfo foi marcado por Amilton, que não desperdiçou um passe errado de Bresson. Vitória importante do Desportivo das Aves fora de casa, mas que não tirou a equipa da zona de despromoção. O Desportivo de Chaves foi ultrapassado na classificação e ocupa o penúltimo lugar do campeonato.

No final da nona jornada, temos agora a liderança do campeonato a ser dividida pelo FC Porto e o Braga – que se vão enfrentar na próxima jornada nas Antas. O Sporting, ao vencer nos Açores, conseguiu ultrapassar o Benfica e chegar ao pódio. Caso vença o Desportivo de Chaves em Alvalade pode mesmo assumir liderança (só em caso de igualdade no jogo entre o Porto e o Braga). O Benfica acabou mesmo por ser o grande derrotado da jornada. Não só sofreu uma pesada derrota em casa com o modesto Moreirense, como também viu a contestação dos adeptos aumentar. Na próxima semana, vai ao terreno do Tondela à procura de regressar às vitórias para o campeonato.

Destaque da Semana: A equipa do Moreirense que, pela primeira vez, venceu no Estádio da Luz (1-3). Na semana em que festejou o seu 80º aniversário, a vitória sobre as águias foi mesmo a cereja no topo do bolo.

Classificação:

  1. Porto – 21 pontos
  2. Braga – 21 pontos
  3. Sporting – 19 pontos
  4. Rio Ave – 18 pontos
  5. Benfica – 17 pontos
  6. Santa Clara – 14 pontos
  7. Moreirense – 13 pontos
  8. Guimarães – 12 pontos

9- Setúbal – 11 pontos

  1. Belenenses – 11 pontos
  2. Portimonense – 11 pontos
  3. Marítimo – 10 pontos
  4. Tondela – 9 pontos
  5. Feirense – 9 pontos
  6. Boavista – 8 pontos
  7. Aves – 7 pontos
  8. Chaves – 7 pontos
  9. Nacional – 6 pontos

Artigo corrigido por: Andreia Jesus


ESCS FM

A voz que tu conheces

Current track

Nome

Artist