PJ está a investigar incêndio na Serra de Sintra

Written by on Outubro 12, 2018

PJ está a investigar incêndio na Serra de Sintra
Autor: ESCS Magazine
Conteúdo retirado automaticamente da página do núcleo ESCS Magazine
Ver fonte

O incêndio que deflagrou junto ao convento da Peninha é já o quarto no Parque Natural Sintra-Cascais em apenas uma semana

Eram 22h50 deste sábado quando deflagrou um incêndio na Serra de Sintra. As chamas propagaram-se rapidamente em direção ao concelho de Cascais e obrigaram à evacuação do Parque de Campismo da Areia e das aldeias de Biscais, Figueira do Guincho e Almoínhas.

Horas antes, tinha sido dado como extinto um incêndio de menores dimensões, com início em Murches, que foi rapidamente dominado pelos 99 operacionais que estiveram no terreno. Este era o terceiro registado no Parque-Natural Sintra-Cascais em poucos dias.

A Serra de Sintra é uma das áreas protegidas em Portugal que menos têm sido fustigadas pelos incêndios nos últimos anos, registando apenas 85 hectares ardidos, nos 14 mil hectares totais do parque, entre 2013 e 2017.

Fonte: JOÃO PORFIRIO / OBSERVADOR

Basílio Horta, o presidente da Câmara de Sintra, manifestou a sua estranheza pelo facto de a serra ter começado a arder durante a noite. Carlos Carreiras, presidente da câmara de Cascais, preferiu não especular sobre a origem do incêndio e confirmou que as autoridades já estão a investigar.

O incêndio, que rapidamente assumiu fortes proporções devido a rajadas de vento na ordem dos 100km/h, foi dado como extinto a meio da manhã de domingo.

Arderam cerca de 600 mil hectares e há o registo de 21 feridos ligeiros – 20 operacionais e um civil. Quanto a danos materiais, contam-se um veículo ligeiro e alguns apoios de madeira de habitações ardidos.

Prevê-se o regresso de fortes rajadas de vento à serra durante esta noite de domingo, pelo que os meios de combate se vão manter no terreno para evitar possíveis reacendimentos.

O último incêndio de grandes proporções tinha ocorrido há já 52 anos e ficou marcado pela morte de 25 militares.

Fotografia de PEDRO NUNES, REUTERS (Fonte: Público)


Current track

Nome

Artist