Após o chumbo do Orçamento de Estado para 2019  em Espanha, o primeiro-ministro espanhol não terá outra solução senão marcar eleições no país.

Na passada quarta-feira, o Orçamento de Estado para 2019 foi chumbado e o Partido Socialista Operário Espanhol cairá no poder e serão antecipadas eleições em Espanha. O primeiro-ministro, Pedro Sanchez, anunciou esta passada sexta-feira o dia em que irão ser realizadas as respetivas eleições. De acordo com a imprensa espanhola, 14 ou 28 de Abril são os dias apontados para estas eleições.

“A ideia é anunciar a convocação de eleições o mais cedo possível depois de a votação do orçamento ter sido perdida”, admitiu uma fonte governamental à agência Reuters. O primeiro-ministro pretende mobilizar apoiantes o mais rápido possível, perante uma direita que se encontra continuamente a crescer, nomeadamente o partido de extrema-direita Vox.

O governo perdeu ainda um dos seus grandes aliados: os independentistas catalões, que retiraram o seu apoio após a suspensão das negociações da independência com o governo espanhol. Os independentistas pretendiam um referente semelhante ao realizado na Escócia em 2014, mas o governo recusou.

O Presidente do Partido Popular, Pablo Casado, revela que houve uma moção de censura no dia da aprovação do Orçamento de Estado e que Sanchez perdeu a maioria do Parlamento, dizendo ainda que o “PP está preparado para governar”.  

Artigo revisto por: Catarina Gramaço