O percurso de Benfica e FC Porto na Liga dos Campeões

Written by on Abril 9, 2019

O percurso de Benfica e FC Porto na Liga dos Campeões
Autor: ESCS Magazine
Conteúdo retirado automaticamente da página do núcleo ESCS Magazine
Ver fonte

As únicas duas equipas portuguesas na Liga dos Campeões tiveram prestações diferentes. Enquanto uma se ficou pela fase de grupos, a outra encontra-se nos quartos de final da prova milionária.

Derivado do segundo lugar no campeonato da época 2017/18, que garante apenas a qualificação para a terceira pré-eliminatória da Liga dos Campeões, o Benfica começou cedo a sua prestação europeia, logo em agosto. Frente aos turcos do Fenerbahce, a equipa encarnada venceu por 1-0 em casa e empatou a 1-1 em Istambul, garantindo, assim, o apuramento. Na eliminatória seguinte, o seu oponente foi os gregos do PAOK. Após um empate desolador em Lisboa por 1-1, os “encarnados” superiorizaram-se na Grécia e alcançaram uma goleada por 1-4.

Grupo do Benfica. Fonte: Twitter Liga dos Campeões.

Após as eliminatórias antecessoras, a expetativa dos adeptos fez-se sentir para a fase de grupos. Nesse sentido, o Benfica teve de medir forças com Bayern de Munique, Ajax e o AEK Atenas. Apesar de o Bayern ser considerado o favorito a passar o grupo em primeiro lugar, o segundo lugar tinha tudo para ser disputado pelo Benfica e pelo Ajax.

Logo a abrir, a equipa encarnada receberia o Bayern de Munique, acabando por perder 0-2. Na mesma jornada, o Ajax recebeu e venceu facilmente o AEK por 3-0.

Na segunda jornada, o Benfica deslocou-se à Grécia, vencendo com algumas dificuldades por 2-3. Na mesma jornada, a equipa do Ajax surpreendia e ia empatar a Munique a 1 bola, havendo o primeiro jogo entre ambos, que poderia ser de carácter decisivo, apenas na terceira jornada, em Amesterdão. A equipa holandesa ganhou por 1-0, com golo aos 90+2.

Festa holandesa no meio da desilusão encarnada. Fonte: Mais Futebol.

A permanência na Liga dos Campeões estava complicada para o Benfica, visto que se encontrava numa situação delicada, mas havia esperança, uma vez que defrontariam o Ajax, em casa, na jornada seguinte. Apesar disso, não passaram de um empate por 1-1, restando apenas a hipótese de serem relegados para a Liga Europa.

Nos dois jogos seguintes, o Benfica foi a Munique, sendo goleado por 5-1, e acabou a fase de grupos a receber e vencer o AEK por 1-0. Posto isto, acabou por ser uma prestação dececionante, com a equipa encarnada a alcançar 7 pontos, num grupo em que o Ajax, a sensação da prova, fez 12 pontos, conseguindo alcançar dois empates frente aos “bávaros”.

Grupo do FC Porto. Fonte: Twitter da Liga dos Campeões.

Por sua vez, o Futebol Clube do Porto entrou diretamente na fase de grupos, fruto do título de campeão nacional. A acompanhá-los na fase-de-grupos estiveram os alemães do Schalke 04, os turcos do Galatasaray e os russos do Lokomotiv de Moscovo. Logo a abrir, o Porto deslocou-se a Gelsenkirchen, de onde guarda boas recordações, não alcançando mais do que um empate por 1-1.

Ainda assim, este deslize acabou por ser o único, uma vez que ganharam os 5 jogos seguintes. Venceram por 1-0 ao Galatasaray, em casa, na segunda jornada. Os “azuis e brancos” alcançaram uma dupla vitória frente ao Lokomotiv (1-3 em Moscovo e 4-1 em casa), 3-1. Os “dragões” alcançaram a vitoria frente ao Schalke 04, em casa. Por fim, a equipa orientada por Sérgio Conceição deslocou-se a Istambul e alcançou uma vitoria por 3-2 frente ao Galatasaray.

Festejos do 0-1 em Istambul, golo de Felipe. Fonte: Observador.

Apesar de o grupo ser teoricamente acessível, o FC Porto cumpriu e fez uma grande prestação, ao fazer 16 pontos em 6 jogos, acabando por ser a equipa com mais pontos conquistados na fase de grupos, carimbando, de forma eximia, a qualificação para a eliminatória seguinte.

Nos oitavos de final da Liga dos Campeões, os “azuis e brancos” mediram forças contra os italianos da Roma. Em Itália, os dragões perderam o jogo por 2-1, trazendo um golo importante para Portugal. No jogo no Dragão, novamente com um 2-1 no final de 90 minutos, o jogo encaminhou-se para prolongamento. Contudo, os comandados de Sérgio Conceição entraram determinados a virar a eliminatória. O FC Porto superiorizou-se e venceu com um golo ao minuto 117. Feitas as contas, a única equipa portuguesa em competição alcançou a respetiva qualificação para os quartos de final.

Por ironia do destino, o sorteio ditou que os “dragões” iriam defrontar os ingleses do Liverpool, sendo, por isso, a reedição dos quartos de final da época passada, onde o FC Porto perdeu por 0-5 em casa. Em Anfield, a equipa azul e branca não conseguiu mais do que um nulo na segunda mão. Não terá uma tarefa nada fácil, mas alimenta o sonho de ir o mais longe possível e, quem sabe, alcançar novamente uma final europeia.

Fonte “thumbnail”: UEFA

Artigo revisto por: Liliana Pedro


Current track

Nome

Artist