Liga NOS – Resumo da Jornada 22

Written by on Março 20, 2019

Liga NOS – Resumo da Jornada 22
Autor: ESCS Magazine
Conteúdo retirado automaticamente da página do núcleo ESCS Magazine
Ver fonte

No seguimento de participações portuguesas nas competições europeias, a jornada 22 começou com o Rio Ave a receber o Santa Clara, na Vila das Aves.

Os Açorianos abriram a contagem com o cabeceamento do defesa Fábio Cardoso, que correspondeu da melhor maneira à cobrança de uma falta por Bruno Lamas. A equipa da casa esperou até quase ao final da primeira parte para responder com um golo de Ruben Semedo, onde a defesa visitante teve bastante influência no golo sofrido.

Assistia-se a uma partida com alto teor ofensivo e com o Rio Ave a dominar a posse de bola, mas ao minuto 63 foi o Santa Clara quem voltou a adiantar-se no marcador. Léo, numa primeira instância, conseguiu travar um potente remate de F. Ramos, mas nada conseguiu fazer contra a astúcia do camisola 95 – Guilherme Schettine -, que não deixou fugir a oportunidade. O resultado manteve-se igual até ao apito final, onde ambas as equipas deixaram bons apontamentos, principalmente no processo ofensivo do jogo.

Três pontos importantes para o Santa Clara que ficou assim a um ponto de distância do Rio Ave, atual oitavo classificado.

No sábado, o Nacional deu aos adeptos aquilo por que poucos esperariam: uma resposta positiva depois dos dez golos sofridos na Luz na última jornada. Os insulares receberam e golearam por 4-0 o lanterna vermelha, Feirense. Foi uma tarde inspirada para o avançado, que se juntou à equipa comandada por Costinha na janela de transferências de janeiro, Sardor Rashidov. O internacional do Usbequistão apontou um hat-trick (12´, 54´, 67´) e foi o destaque da partida. O último tento foi apontado por Bryan Róchez quando faltavam dez minutos para o fim da partida.

O Feirense complicou ainda mais a manutenção na Liga NOS com esta quarta derrota consecutiva. A equipa agora comandada por Filipe Martins não consegue três pontos na prova desde a segunda jornada, onde bateu o Vitória, em Guimarães.

O Estádio D. Afonso Henriques foi o palco do confronto que mediu forças entre o Vitória S.C. e os algarvios do Portimonense. Os de Guimarães alcançaram uma vitória por dois golos, que lhes permite continuar a sonhar com um lugar de acesso às pré-eliminatórias da Liga Europa.

A equipa da casa enquadrou nove finalizações na baliza do adversário. Em comparação, apenas um remate do Portimonense ameaçou os Vitorianos.  O brasileiro Mattheus Oliveira abriu a contagem ao minuto 40 e Guedes fechou-a aos 73 com um golo de cabeça.

Na noite de sábado, o F.C. Porto retomou às vitórias depois de dois empates consecutivos para a Liga NOS e uma derrota frente aos italianos do Roma a contar para a primeira mão dos oitavos de final da Liga dos Campeões.

Os Portistas receberam o Vitória F.C. no Estádio do Dragão e cedo marcaram o primeiro golo. Golo mexicano no Dragão ao minuto 15: Herrera. A tarefa tornou-se mais difícil para a equipa de Setúbal quando Éder Bessa viu o segundo amarelo e foi expulso. O F.C. Porto dominou a posse de bola e rematou muito mais do que o adversário – reduzido a dez homens – e ao minuto 65 surgiu a chance, a passe de Alex Telles, de Soares fazer o décimo golo nesta edição da Liga NOS e assegurar a permanência no topo no campeonato. Houve ainda tempo para mais um jogador dos campeões nacionais se lesionar: Danilo Pereira – médio internacional português e um dos jogadores em maior evidência no confronto a meio da semana – fará companhia a Aboubakar, Marega e a Brahimi, juntando-se à lista de baixas do plantel.

Na tarde de domingo, o Marítimo conseguiu três pontos importantes no terreno do Belenenses SAD. Uma vitória que os retirou da zona de despromoção. O jogo foi desbloqueado ao minuto 71 por Leandro Barrera que proferiu um potente remate na passada com a perna esquerda.

O Tondela, que se encontra num lugar muito próximo do território de descida de divisão, mostrou-se insuficiente para travar a boa forma do Moreirense.  Foi um jogo estatisticamente equilibrado, onde pequenos detalhes podem explicar a supremacia no resultado por parte dos monegascos. O primeiro golo surgiu ao minuto 44 com um cruzamento certeiro de Arsénio para a finalização aérea de David Teixeira. A seis minutos da compensação, em consequência de um canto batido à esquerda do guarda-redes do Tondela, a bola foi parar aos pés de Bibel, que não perdeu tempo a fuzilar as redes dos visitantes. Um resultado que reflete bem o momento de forma e os objetivos de cada clube nesta liga.

Na noite de domingo, o Chaves empatou, em casa, com o Boavista. Cada equipa marcou um golo nesta partida. Os axadrezados mostraram-se mais ameaçadores nos primeiros 45 minutos, mas, a um minuto do fecho da primeira metade, Paulinho sofre falta dentro da área. B. Grallo converteu a grande penalidade e deu a vantagem aos flavienses à ida para os balneários. À hora de jogo foi a vez do Boavista fazer o empate. Depois de uma boa jogada levada a cabo pelos jogadores do corredor direito dos visitantes, F. Espinho rematou de primeira para o centro da baliza de Braccalli.

Um resultado sem grandes implicações na tabela. As duas equipas continuam separadas por quatro pontos.

Depois de perder em casa contra o Villarreal na passada quinta-feira a contar para a Liga Europa, o Sporting iria ser um dos protagonistas neste grande confronto da jornada 22 com o S.C. Braga.

Os leões conseguiram contornar a instabilidade das últimas semanas e derrotaram os arsenalistas com uns pesados 3 golos sem resposta. A equipa de Keizer jogou um futebol muito ofensivo, criando perigo à baliza de Tiago Sá tanto com o recurso da meia distância como com incisões no eixo da defesa bracarense – consequência de boas combinações. Mas foi o sujeito do costume que, de livre direto, apontou o seu décimo primeiro golo na prova. Golo do capitão Bruno Fernandes, aos 33 minutos. Três minutos passados desde o início da segunda parte, um homem verde e branco é derrubado na área. Desta vez foi Bas Dost que converteu a penalidade máxima, engordando a vantagem sob o terceiro classificado. Quando se jogava o 68o. minuto da partida, o corredor direito leonino executou uma boa combinação que acaba com avançado holandês a bisar.

Vitória do Sporting, que encurta terreno até ao terceiro lugar. Em contrapartida, uma derrota pesada para a equipa de Abel que iria ver o Benfica a afastar-se mais.

O último jogo da jornada foi disputado na segunda-feira. O Aves recebeu a motivada equipa de Bruno Lages que deu continuidade à maré de bons resultados. A equipa da casa não conseguiu conter a veia goleadora do Benfica (média de 2,73 golos por jogo na Liga NOS). Ao terceiro minuto de jogo, o grego Samaris encontrou na área Haris Seferovic, que, depois de receber de peito, bateu com classe o guardião do Aves.

Transições rápidas e acutilantes e uma rápida reação à perda da posse de bola caracterizam este novo Benfica que não deixou descansar o Aves. Porém, o guardião Odysseas teve de mostrar que estava presente ao evitar o golo ao minuto 28. A resposta encarnada surgiu pelo corredor esquerdo, onde o jovem de 19 anos João Félix encontrou Rafa na área. O internacional português desnorteou o defesa adversário para encontrar espaço para apontar para o segundo golo do jogo (36´). Ferro passou do céu ao inferno. Aos 59 minutos, o defesa central fez o terceiro golo encarnado, mas cinco minutos depois mostrou-se incapaz de travar, sem falta, a incursão de Derley, tendo sido expulso. O resultado não se alterou até final e o Benfica manteve a distância de um ponto do primeiro classificado, o F.C. Porto.   

https://static.globalnoticias.pt/oj/image.aspx?brand=OJ&type=generate&guid=522eac25-56fa-49b5-ae25-1fffaf1e607c&w=735&h=490&t=20190218210850 Fonte: Fábio Poço/Global Imagens

Artigo revisto por Andreia Jesus


Current track

Nome

Artist