Jorge Martin e Francesco Bagnaia campeões do mundo na Malásia

Written by on Novembro 16, 2018

Jorge Martin e Francesco Bagnaia campeões do mundo na Malásia
Autor: ESCS Magazine
Conteúdo retirado automaticamente da página do núcleo ESCS Magazine
Ver fonte

Os líderes de Moto2 e Moto3 não deixaram a discussão do título chegar a Valência. Tudo ficou decidido depois de Martin (Del Conca Gresini Moto3) e Bagnaia (SKY Racing Team VR46) não terem batido aos pontos os seus adversários diretos, deixando-os sem qualquer hipótese.

Com o título da classe rainha já entregue a Marc Marquez (Honda), na ronda japonesa do campeonato, restava saber quem seriam os campeões das classes de Moto2 e Moto3. Foi precisamente este domingo que tudo ficou decidido. O espanhol da Honda acabaria por vencer também na Malásia em consequência da queda de Valentino Rossi, que seguia na liderança (Movistar Yamaha MotoGP). O italiano termina assim no 3º lugar do campeonato, logo atrás do seu compatriota, Andrea Dovizioso (Ducati Team).

Ora, antes de mais, vamos primeiro perceber o que é que Bagnaia (Moto2) e Martin (Moto3) tinham de fazer para vencer o campeonato antes de chegarem à última prova do ano, em Valência.

Portanto, para o então líder do campeonato de Moto3, Jorge Martin, as hipóteses dependiam não só de si, mas também de Marco Bezzecchi (Redox PruestelGP) e de Fabio Di Gianantonio (Del Conca Gresini Moto3) – 2º e 3º no campeonato, respetivamente. Para Martin ser campeão na Malásia, o que teria de acontecer era:

– Vencer a corrida e Bezzecchi não ir além do 5º lugar;

– Terminar em 2º lugar, Bezzecchi não ir além do 9º e Di Giannantonio não terminar no pódio;

– Terminar em 3º lugar, Bezzecchi não ir além do 13º e Di Giannantonio não ir além do 5º lugar;

– Terminar em 4º, Bezzecchi não pontuar e Di Giannantonio não ir além do 8º lugar.

Martin saiu da pole position ao lado do seu adversário direto, Marco Bezzecchi. Na 1ª curva, Bezzecchi subiu à liderança e Martin foi caindo várias posições até ao 10º lugar. A partir daí, foi sempre no sentido ascendente até chegar à liderança. Bezzecchi já não tinha ritmo suficiente à medida a que via Martin a afastar-se cada vez mais e a cruzar a linha de meta. O agora campeão do mundo de Moto3 garantiu a primeira possibilidade apresentada acima: venceu a corrida, enquanto Bezzecchi se ficou pela 5ª posição.

A desilusão do italiano foi visível, pois não teria sido preciso muito mais para segurar o título até Valência. Já a alegria de Jorge Martin foi bem observável. O espanhol nem queria acreditar no que lhe estava a acontecer e não conseguiu conter as lágrimas. Depois de uma temporada complicada, com algumas derrotas, quedas, lesões e corridas por terminar, conseguiu alcançar o seu objetivo.

No campeonato de Moto2 tínhamos Francesco (Pecco) Bagnaia na liderança do campeonato e Miguel Oliveira (RedBull KTM Ajo) na 2ª posição, a 36 pontos do italiano. Para vencer o campeonato na Malásia, Pecco Bagnaia tinha o seu trabalho um pouco mais facilitado do que Martin, em Moto3, pois tinha uma vantagem de 36 pontos sobre o português. Para Bagnaia ser campeão, uma das hipóteses abaixo teria de se concretizar:

– Terminar no pódio, independentemente do resultado de Oliveira;

– Terminar em 4º, 5º, 6º ou 7º e Oliveira não ganhar a corrida;

– Terminar em 8º, 9º, 10º ou 11º e Oliveira não ir além do 3º lugar;

– Terminar em 12º, 13º ou 14º e Oliveira não terminar no pódio;

-Terminar em 15º ou não arrecadar quaisquer pontos e Oliveira não ir além do 5º lugar.

Tanto Bagnaia como Oliveira fizeram tempos semelhantes ao longo de todo o fim-de-semana. Havia, portanto, um grande equilíbrio entre os dois. No dia da corrida, o português saiu do 7º lugar da grelha de partida, logo atrás do italiano que ocupava o 6º lugar. Oliveira fez um excelente arranque e logo na primeira curva já ocupava o 2º lugar, à frente de Bagnaia, que subiu para 3º. Os dois lugares foram disputados pelos dois pilotos durante algum tempo, mas Oliveira acabaria por conseguir ganhar vantagem sobre o italiano. Na liderança seguia também Luca Marini, companheiro de equipa de Bagnaia. No final, o italiano acabou por não dar hipótese a Oliveira e vencer a corrida.

No entanto, apesar do esforço do português, o pódio de Francesco Bagnaia garantiu-lhe a vitória imediata no campeonato. A festa foi grande, principalmente por parte de Valentino Rossi, com o irmão mais novo, Luca Marini, a conseguir a sua primeira vitória e Pecco a vencer o campeonato com as cores da sua equipa (SKY Racing Team VR46).

No final da corrida, Miguel Oliveira sublinhou o facto de estar orgulhoso pelo seu esforço ao longo de toda a temporada e prometeu fazer de tudo para conseguir dar uma vitória aos fãs em Valência.

A última prova do campeonato terá lugar nos dias 16, 17 e 18 de novembro, no Circuito Ricardo Tormo, em Valência. Os campeões já estão encontrados, mas ainda há muito para ver no circuito espanhol.

Corrigido por Ana Roquete


Current track

Nome

Artist