A Autoridade Nacional do Medicamento indica que os medicamentos com a substância ativa valsartan que tenham sido fabricados pelos laboratórios AIM Teva e Mylan devem ser devolvidos. Em causa está a deteção de valores de impureza que comprometem a utilização por parte do doente.

A Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) anunciou que vários lotes de medicamentos que contêm a substância valsartan e que são produzidos pelos fabricantes AIM Teva e Mylan foram retirados do mercado. A substância é usada para o tratamento da tensão arterial elevada.

O Infarmed recomenda aos doentes que estejam na posse destes lotes de medicamento que solicitem a sua substituição por um lote de medicamento não afetado, mesmo que as embalagens já tenham sido utilizadas, de forma a não comprometer a sua saúde: “As entidades que possuam embalagens pertencentes aos lotes indicados (AIM Teva e Mylan) em stock não as podem vender, dispensar ou administrar, devendo proceder à sua devolução. Esta decisão surge na sequência da deteção de valores de impurezas de NDEA (Nnitrosodimetilamina) fora do limite admissível”, esclarece o Infarmed, num comunicado.

Fonte: Jornal económico

A Autoridade do Medicamento refere também que existem outros medicamentos contendo valsartan que não foram recolhidos, bem como outros medicamentos disponíveis para as mesmas indicações,  que constituem alternativas terapêuticas para os doentes afetados.

Esta decisão surge depois de, em Julho deste ano, o Infarmed ter anunciado a suspensão imediata da comercialização de lotes de medicamentos com a substância ativa valsartan, por um fabricante chinês, pois foi identificada uma impureza nos seus componentes.


Artigo corrigido por: Ângela Cardoso